O que é a Medicina Tradicional Chinesa (MTC)?


A Medicina Tradicional Chinesa é uma medicina energética, ou seja, toma como base a existência de uma estrutura energética para além do corpo físico, e afirma que no nosso corpo a energia circula por canais (meridianos) que têm pontos específicos que, ao serem punturados, reorganizam a circulação energética de todo o corpo. A doença, por sua vez é sempre uma desorganização da energia funcional que controla e dinamiza os órgãos.

Este sistema beneficia de experimentação e aperfeiçoamento ininterrupto há vários milhares de anos: com ele se obtêm resultados mais rápidos e profundos em acupuntura. Sem ele a acupuntura fica reduzida a uma prática empírica, sem história científica e de alcance muito mais limitado.

Toda a cultura chinesa assenta em duas teorias base: a teoria do yin/yang e a teoria dos cinco elementos. Toda a visão do mundo dos chineses nasce a partir destes dois princípios básicos. A medicina chinesa, como legado cultural chinês, aplica estes princípios à compreensão da natureza e do corpo humano, e a partir daí constrói o seu corpo de saber científico tradicional.

 
Largamente estudada e reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a MTC possui hoje, no Ocidente, um valor inegável. De tal modo que a própria OMS emitiu já há alguns anos, uma lista que reconhece a sua eficácia em patologias tais como:

Bronquite, Pneumonia, Asma, Rinite, Sinusite, Hipertensão Arterial;

Úlcera, Disfunção Biliar, Diabetes, Acne, Dermatite, Reumatismo, Hemorróidas, Celulite, Obesidade, Insônias, Dores Articulares, Prostatite, Incontinência Urinária e Fecal;


Ciática, Nevralgia do Trigêmio, Cefaléias, Depressão, Neuroses Psíquicas, Torcicolite, Tabagismo, Alcoolismo;

Gripe, Tosse, Tonturas, Vertigens, Zumbidos, Angina de Peito, Otites, Impotência Sexual, Problemas Menstruais, Síndrome Menopáusica e Patologias da Mama.